Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Dilma escolhe aviões da FAB

por Fernando Zocca, em 10.12.10

 

                             Quase todo mundo sabe a importância que tem a aviação nos dias atuais.

                Os aviões significam a transposição das grandes áreas de território, em tempo bem reduzido. 

                No tempo de Dom João VI, por volta de 1808, uma viagem de Lisboa até o Rio de Janeiro, demorava cerca de 90 dias.

                Hoje bastam algumas horas a bordo de um avião e você estará em outra cidade, outro país.

                Agora imagine a importância comercial que tem essa alternativa oferecida pela aviação.

                Os industriais dispõem de um meio de escoamento rápido das suas produções.

                O transporte de pessoas tornou-se mais eficiente, rápido e barato.

                Agora, quando falamos em transporte de gente, pensamos também na locomoção do pessoal encarregado da defesa da sociedade, como os soldados, por exemplo.

                Quando falamos em soldados lembramos logo dos conflitos bélicos internacionais.

                E quando ocorrem problemas dessa ordem, o uso de aviões militares é indispensável para a acomodação e apaziguamento da beligerância.

                Atualmente o governo brasileiro pretende renovar as esquadrilhas de aviões de caça da FAB.  

                Participam do processo de escolha os fabricantes do GRIPEN da Suécia, do RAFALE da França e do F/A18 o SUPER HORNET dos Estados Unidos.

                Os três modelos teriam características semelhantes e os fabricantes transfeririam, para a indústria brasileira, as técnicas de fabricação.

                No atual momento das negociações, o presidente Lula disse, recentemente pela imprensa, que pretende deixar a decisão da escolha para a presidenta eleita Dilma Rousseff.

                Veja no vídeo abaixo uma exibição do F/A18 Super Hornet, do concorrente norte-americano.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:14

...

por Fernando Zocca, em 26.10.10

Wagner Tiso recria o Sem Medo de Ser Feliz

 

A campanha de Dilma Rousseff no segundo turno está sendo impulsionada por uma extraordinária mobilização da sociedade, como só ocorre nos grandes momentos da História.

 

Manifestações espontâneas de professores, estudantes, religiosos, trabalhadores, ambientalistas, artistas e intelectuais constituíram uma gigantesca corrente pela democracia e pelo avanço das políticas de inclusão social do governo Lula.

 

“Tem um clima pra cima no ar, que lembra a campanha de Lula em 1989”, disse o compositor e maestro Wagner Tiso, um dos organizadores do ato Cultura com Dilma, que reuniu mais de dois mil profissionais das artes e da cultura no Teatro Oi-Casagrande, no Rio, em 18 de outubro.

 

Embalado pela manifestação, Wagner Tiso entrou no estúdio de gravação para recriar um dos maiores sucessos da história das campanhas eleitorais: o jingle “Sem Medo de ser Feliz”.

 

O jingle foi criado originalmente para a campanha de Lula, em 1989, pelo compositor Hilton Acioli, dono de rica trajetória na MPB. Parceiro de Geraldo Vandré nos anos 60, Hilton Acioli popularizou o slogan Lula-lá, que está na memória de toda uma geração.

 

No segundo turno de 1989, o maestro Wagner Tiso gravou um novo arranjo para o jingle, com as vozes de Chico Buarque, Gilberto Gil e Djavan. O filme da gravação foi ao ar na Rede Povo, o programa de TV da campanha de Lula. Sucesso instantâneo, que hoje é um dos vídeos políticos mais vistos no YouTube.

 

Wagner Tiso ofereceu à campanha de Dilma um novo arranjo de “Sem Medo de Ser Feliz”. É uma celebração da alegria e da energia positiva da campanha de Dilma, nessa reta final que vai nos levar a mais uma vitória da democracia, para continuar construindo um país melhor e mais justo.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:00

A mulher no poder

por Fernando Zocca, em 07.10.10

 

 

            A candidata da coligação, Para o Brasil Seguir Mudando, à presidência da República, Dilma Rousseff, acompanhada do governador reeleito do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, dos senadores recém-eleitos Crivella e Lindberg Farias, deu início à sua campanha no segundo turno, com uma carreata ontem (06/10), pelas ruas de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

 

                “Eu quis começar por aqui porque iremos priorizar duas questões muito importantes: o tratamento de água e o esgotamento sanitário. E aqui na baixada nós fizemos um esforço muito grande, porque durante muitos anos a baixada ficou sem os investimentos que beneficiariam a vida concreta das pessoas”, disse ela sobre o compromisso assumido de investir no saneamento básico, levar as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), e tratamento de água.

 

                “Nós voltamos a investir e vamos assumir um compromisso com a baixada que é o mesmo que assumimos lá na cidade do Rio de Janeiro, que é o programa das UPPs. Nós iremos levar para a Baixada as Unidades de Polícia Pacificadoras que estão dando tão certo lá no Rio de Janeiro. Trazer para cá significa melhoria das condições de vida da Baixada. O que interessa é a qualidade de vida das pessoas e a segurança é uma questão central nisso”, detalhou ela.

 

                 A carreata da Dilma foi uma das mais emocionantes da campanha. Homens e mulheres trabalhadores pararam momentaneamente suas atividades no comércio para acenar à candidata.

 

                Os moradores também saíram às ruas e disseram que estão com Dilma.

 

                Os mais de 10 quilômetros percorridos pela candidata estavam repletos de gente pelas calçadas, empunhando bandeiras, mandando beijos e força para a petista. Em alguns lugares, multidões esperavam pela passagem da Dilma. Foi uma demonstração de que os fluminenses estão com a petista no segundo turno.

 

                 Questionada sobre a queda do dólar frente ao Real, Dilma disse que não é necessária uma intervenção no câmbio. Segundo ela, no longo prazo é preciso reduzir a relação entre dívida pública e Produto Interno Bruto (PIB), que explodiu para 60% no governo FHC e despencou para 40% no governo Lula. A meta da Dilma é reduzir essa relação para o patamar dos 30%.

 

                   “Queria dizer o seguinte, eu considero que ajuste fiscal não tem uma relação direta com o câmbio. A questão do câmbio tem relação com os Estados Unidos e com o fato de eles ainda estarem numa crise profunda. E isso não vai ser resolvido por ajuste fiscal no Brasil”, explicou.

 

                     A solução para câmbio, segundo Dilma, é dar mais competitividade para a indústria nacional ”tanto pela Reforma Tributária e pelo processo de melhoria do endividamento público” afirmou. Ela defendeu também o aumento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), estabelecido pelo Ministério da Fazenda, porque impede que o mercado tome atitudes especulativas contra o Real.

 

                     Veja no vídeo alguns momentos da carreata da Dilma na Baixada Fluminense.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:50

Hoje o Grande Comício da Vitória

por Fernando Zocca, em 27.09.10

 

 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, o candidato ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante (PT), os candidatos ao Senado pelo estado, Marta Suplicy (PT) e Netinho de Paula (PCdoB), participarão hoje (27/09) às 18h, no Sambódromo do Anhembi, do Grande Comício da Vitória.

 

Na reta final da campanha eleitoral, apenas a seis dias antes das votações, do primeiro turno, que ocorrem no domingo (03/10), este será o último grande comício da Coligação União Para Mudar. Não deixe de participar desse momento histórico!

 

O Sambódromo do Anhembi fica na Avenida Olavo Fontoura, nº 1209, Santana – ao lado da Marginal Tietê e próximo da estação Portuguesa-Tietê do metrô.

 

Veja momentos da visita de Mercadante ao Guarujá.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:03

Bico grande para falar e pequeno para fazer

por Fernando Zocca, em 20.09.10

 

A candidata da coligação para o Brasil Seguir Mudando Dilma Rousseff e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, participaram de mais um comício com milhares de pessoas, agora em Campinas (SP), a nona cidade mais rica do país.

 

Dilma falou diretamente com a plateia no Largo do Rosário, em Campinas fazendo uma avaliação sobre que tipo de país as pessoas devem escolher nos próximos quatro anos. “Vamos decidir o rumo do Brasil, para onde esse país vai. Nós queremos aquele país do desemprego? Não [respondia junto com os eleitores]. Nós queremos aquele país da desigualdade? Não [disse novamente com a militância]. Aquele país que ninguém tinha chance de subir na vida? Não. Nós queremos aquele país que deu chance para as pessoas”, completou.

 

“Esse legado de justiça social, de desenvolvimento e respeito ao meio ambiente. Vou seguir um conselho que o Lula me deu: olha, você sabe que o difícil não é governar, o difícil é governar com o coração cuidando do povo brasileiro. Para cuidar do povo brasileiro tem que ter lado e saber de que lado você está. Nós sabemos de que lado estamos. Estamos do lado dos 190 milhões” disse a candidata ao comentar sobre o legado do governo Lula.

 

O candidato a vice, deputado Michel Temer (PMDB-SP), fez questão de ressaltar a importância da festa popular:  “Quando eliminamos o showmício, todos os deputados disseram que não haverá mais comício nesse país. Mas o governo Lula foi tão benéfico e grandioso que os comícios se repetem pelo show do governo Lula”, disse.

 

O presidente Lula condenou o comportamento da oposição nessa eleição. Segundo ele, os tucanos têm agido com soberba e empáfia, assim como fizeram quando estavam no governo.

 

“Não tem nada que faça um tucano sofrer mais do que a gente mostrar que eles tem bico grande para falar e bico pequeno pra fazer. Eles não gostam de comparação, odeiam que a gente mostre o que eles fizeram e o que nós fizemos. Os tucanos nunca receberam os trabalhadores, os estudantes. Os tucanos não ouvem. Eles não têm ouvido. Eles só têm bico e bicam, bicam”, disse Lula, durante o discurso.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:17

O jeito petista de governar

por Fernando Zocca, em 07.09.10

                      Antes de iniciarmos a nossa matéria de hoje queremos parabenizar o portal SAPO pelo aniversário. São quinze anos a serviço da inteligência e cultura portuguesa na Internet.

 

             Dito isso, sigamos em frente.

 

              Essas discussões inócuas, sobre os problemas na Receita Federal, que não prejudicaram a ninguém, não deveriam ocupar tanto espaço midiático.

 

             A tentativa do PSDB de asfixiar a vitalidade juvenil petista, atraída pelo mau caratismo opressor, a esse quarto longínquo e periférico, só pode revelar as más intenções contidas num crime premeditado.

 

             Meu amigo Rubens é quem estaria certo. Pra ele “tinha que pegar o agente dessa maldade sufocante e aplicar-lhe as penas cabíveis”, disse-me na semana passada, num encontro diante do balcão da pastelaria, no mercado municipal.

 

             As acusações injustas assemelham-se àquele ato que desvia a vida de uma pessoa jovem; tanto a imputação de crime quanto o assassínio devem ser punidos; se não o forem desencadeariam avalanches semelhantes.

 

             Essa tentativa de estrangulamento, promovida por agentes peessedebistas, demonstraria a impotência eleitoral vergonhosa, diante da qual não vislumbraram outra saída, que não fosse o delito cometido.

 

             Pode o meu nobilíssimo leitor notar que não é crime o acesso aos dados dos contribuintes, na Receita Federal, por pessoas investidas dessa função.

 

             Mas dizer publicamente, que as atitudes praticadas são ilegais e apontar os supostos responsáveis, indica a má fé de quem o faz. O objetivo dessa denunciação caluniosa é tentar manchar a honra do partido que se destaca na preferência do eleitorado.

 

             Desmerecer o outro, justificar a própria incapacidade com os supostos vícios do adversário, seria uma sentença condenatória inapelável para quem não tem tantas propostas exequíveis e nem satisfatórias à população.

 

             Essa forma obscura, opaca e confusa de conduzir, inserida no programa partidário do PSDB, é que garante o sucesso do jeito petista de governar.

 

             Agora veja no vídeo abaixo, alguns momentos da caminhada que o candidato do Partido dos Trabalhadores, ao governo do Estado de São Paulo, Aloízio Mercadante fez no bairro da Saúde, na segunda-feira, (06/09).

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:30

Com proposta de 7.000 empregos Mercadante aproxima-se do Palácio

por Fernando Zocca, em 04.09.10

                               Prosseguindo sua marcha rumo ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado de São Paulo, o candidato petista Aloízio Mercadante acompanhado por Michel Temer, Marta Suplicy e Netinho de Paula, estiveram ontem na Baixada Santista.

 

             Falando à imprensa, aos moradores e a todos os que vivem na região, Mercadante ressaltou a importância vital de um aeroporto, do porto e também da ponte a ser construída.

  

             A Baixada Santista tem papel preponderante no pré-sal – importante jazida de petróleo no litoral sudeste - e por isso essas obras estratégicas precisam de uma atenção especial do governo do Estado.

 

             Junto com a proposta de 7.000 empregos diretos, relacionados às obras que a extração do petróleo exige, Mercadante aproxima-se do Palácio dos Bandeirantes.

 

             Nas pesquisas de opinião – publicadas ontem (3/9) - o avanço do candidato reduziu em oito pontos a vantagem de Geraldo Alckmin (PSDB) na disputa pelo governo.

 

              Segundo o Datafolha, Mercadante subiu quatro pontos percentuais em relação à pesquisa anterior, divulgada há uma semana, e aparece agora com 24% das intenções de voto. Alckmin caiu quatro pontos e tem 50%.

 

            A diferença entre os dois diminuiu de 34 para 26 pontos, a menor margem desde o início da campanha.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:21

Mercadante recebe o apoio das lideranças sindicais

por Fernando Zocca, em 03.09.10

                O senador Aloízio Mercadante, candidato do Partido dos Trabalhadores, ao governo do Estado de São Paulo, participou ontem (quinta-feira 2/9), de um encontro com sindicalistas, ocorrido na capital.

 

                No transcorrer do evento, Mercadante recebeu das lideranças, o documento Agenda da Classe Trabalhadora, que denuncia a ausência de negociação e o descaso do atual governo do estado, nas áreas da educação e saúde.

 

                “Eles esperam um governador que governe com o coração, que entenda o problema dos trabalhadores e olhe, principalmente, para a qualidade das políticas públicas, da educação dos seus filhos”, disse o candidato numa entrevista à imprensa.

 

                Mercadante assumiu o compromisso de atender as demandas apresentadas “fazendo o melhor para todos”, garantindo que valorizará os professores e melhorará a qualidade do atendimento do Sistema Único de Saúde. “Porque a saúde pública ainda é muito deficiente. Os trabalhadores ainda sentem muita deficiência quando precisam fazer uma cirurgia ou um exame de especialidade”, disse ele.

 

                 Além da Central Única dos Trabalhadores (CUT), que promoveu o evento, participaram também a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), o PMDB Sindical, a Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB-SP), a Força Sindical, a Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST-SP), o Sindicato dos Comerciários de São Paulo e a União Geral dos Trabalhadores (UGT-SP).

 

                Os candidatos ao senado Netinho de Paula (PCdoB) e Marta Suplicy (PT), também participaram do evento e assumiram o compromisso de defender, no Congresso Nacional, a luta dos trabalhadores. Mercadante destacou a importância de eleger pela primeira vez, um negro e uma mulher, para o Senado pelo Estado de São Paulo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:32

Mercadante e Lula marcam comícios em São Paulo

por Fernando Zocca, em 30.08.10

O senador Aloízio Mercadante candidato do Partido dos Trabalhadores ao governo de São Paulo participou, na noite deste domingo (29), de um jantar no apartamento do presidente Lula, em São Bernardo do Campo, na região do Grande ABC paulista.

 

Em seguida o candidato petista comunicou, através de sua página no Twitter (@Mercadante), que depois de uma conversa com o presidente Lula e sua esposa, Marisa Letícia, marcaram uma série de comícios conjuntos para a reta final das eleições. "Nesta noite conversei longamente com o presidente Lula e Marisa. São Paulo vai ser prioridade para os dois" postou ele no Twitter.

 

"Marcamos vários comícios com o presidente Lula na reta final. E com ele vamos vencer", garantiu o candidato que, segundo última pesquisa Ibope, divulgada no sábado (28), subiu nove pontos, alcançando 23% da preferência do eleitorado paulista contra 47% de Geraldo Alckmin (PSDB).

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:46

Dilma e Lula participam de comício em Campo Grande

por Fernando Zocca, em 25.08.10

A candidata do Partido dos Trabalhadores à presidência da República Dilma Rousseff participou na noite de ontem, terça-feira (24), em Campo Grande (MS), de mais um comício da campanha, rumo ao Palácio do Planalto.  O presidente Luiz Inácio Lula da Silva também esteve presente e discursou em seguida à fala da candidata.

 

Em sua mensagem Dilma elogiou Lula dizendo ser ele "O presidente que acabou com aquele país que era da desigualdade, do desemprego e da estagnação."

 

Em outros momentos, disse que Lula "não é um presidente que se fechou em Brasília" é um chefe de governo que "despertou imenso orgulho de ser brasileiro".

 

Afirmou que o governo do PT "jamais deixou faltar dinheiro para o Bolsa Família" e citou  a gestão do PSDB ao afirmar que "investimos em estradas muito mais recursos do que o governo do Fernando Henrique aqui investiu".

 

Ao final, disse ser "importante que a gente não ache que já ganhamos" e em seguida afirmou que "O presidente nesse ato não é que passa para mim um governo, passa muito mais: a responsabilidade de cuidar daquilo que ele mais ama, que é o povo brasileiro".

 

Lula, bastante emocionado, falou sobre um fato acontecido com ele, durante a campanha presidencial de 2002.

  

"Uma vez estava almoçando na Folha de S.Paulo e o diretor me perguntou: como é que você quer governar o Brasil se você não fala inglês? [...] E eu disse para ele: alguém já perguntou se o Bill Clinton fala português? Eles achavam que o Bill Clinton não tinha obrigação de falar português. Era eu, o país subalterno, colonizado, que tinha que falar inglês".

 

O presidente Luís Inácio Lula da Silva afirmou ainda que terminará o mandato "sem precisar ter almoçado em nenhum jornal nem nenhuma televisão". "Também nunca faltei com o respeito com nenhum deles. Já faltaram comigo. Se dependesse de determinados meios de comunicação, eu teria zero na pesquisa, e não 80% de bom e ótimo como temos nesse país", disse.

 

Terminando o seu discurso Lula falou sobre o preconceito contra a mulher no país e afirmou que a eleição de Dilma representa "carinho e amor que somente a mãe pode ter".

 

Veja, no vídeo abaixo, alguns momentos da visita da candidata Dilma Rousseff e Lula, à porta da Mercedes-Benz, em São Paulo.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:44


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D