Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Meu querido velho

por Fernando Zocca, em 27.06.14

 

 

Quando era moleque, meu pai não teria sido de trato muito fácil. 

O objetivo paterno de proporcionar-lhe uma boa educação fez com que ele participasse ainda bem criança, de algumas aulas de violino.

Nascido aos 12 de outubro de 1927, talvez por incompatibilidade com as irmãs mais velhas, ou inexistência de vaga nas escolas de Piracicaba, Fúlvio, também conhecido como Zico, foi levado a um colégio interno em Campinas, onde cursou o ginasial.

As visitas semanais que recebia traziam-lhe, dentre outras coisas, as famosas linguiças de porco feitas no açougue do meu avô, pai dele.

O aroma que evolava do alimento, guardado no armário particular do seminário, aguçava o paladar dos demais garotos desejosos de experimentar o sabor. 

Formado no ginasial Fúlvio, de volta à Piracicaba, trabalhando como caixa no Banco Moreira Salles, ingressou no curso Normal, do Colégio Piracicabano, onde se formou professor de artes. 

Durante o curso, no decorrer de uma festa junina, lá no Colégio, ele conheceu a minha mãe, que cursava o madureza. 

Depois de casados meu pai foi designado para lecionar numa comunidade japonesa (Bunka) de uma cidade bem distante. Minha mãe e eu ficávamos sozinhos na casa da Rua Benjamin Constant, que ocuparam, no início da década de 1950.

Admitido por concurso no IAPI (instituto de aposentadoria e pensão dos industriários), predecessor do INPS e depois INSS, Fúlvio Zocca ajudou a instalar a agência da entidade em Santa Barbara D Oeste, SP.

Com o dinheiro da venda de um dos imóveis do espólio de seu pai José Carlos Zocca, ao invés de adquirir a casa própria, comprou maquinário - máquinas de costura - para a confecção de camisetas. Com o tal empreendimento pretendia empregar a mulher e os filhos.   

Em 1973, durante o expediente, na agência da Rua XV de Novembro 790, ele sofreu um infarto.

Hospitalizado em São Paulo passou por sua primeira cirurgia cardíaca feita pelo famoso doutor Zerbini. 

Retornando e bem recuperado, foi aprovado em concurso, no INSS, para o cargo de fiscal previdenciário. 

Mesmo assim, por ser portador de cardiopatia grave, aposentou-se precocemente. 

Por determinações médicas devia fazer exercícios físicos com regularidade. Levando os conselhos ao pé da letra, ele associou-se ao Clube Cristóvão Colombo, onde algum tempo depois, ajudou a criar o departamento de tênis.

Além do tênis, que jogava com regularidade, meu pai gostava de fotografar e pretendia aprender a tocar violão. 

Em 1983 submeteu-se novamente a outra cirurgia do tórax na Beneficência Portuguesa, em São Paulo.  

Fúlvio Zocca faleceu no dia 23 de agosto de 1990, na cidade de São Paulo, aos 63 anos de idade, poucas horas depois da sua terceira cirurgia cardíaca. 

Saudades. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:47

A Viagem

por Fernando Zocca, em 09.06.12

 

 

 

A menina aproximando--se lentamente do leito de morte, da velhinha querida e, vendo inserido, numa das narinas dela, aquele longo tubo fino de borracha, que saia de um orifício da parede, acima da cabeceira da cama, sentiu um forte desejo de saber o que era.

- Olha, não mexa nessa cânula, que é oxigênio, ouviu?  E não faça barulho se não você vai acordá-la. - decretou a enfermeira, que acabava de chegar, depois de saber que a paciente, sob seus cuidados, recebia a visita de uma criança.

A guria, com a experiência que lhe proporcionava os nove anos de vida, nada respondeu.

Quando ficou só, a neta percebeu que a avó abriu os olhos dirigindo-lhe em seguida, o olhar que expressava serenidade.

- Oi vó. - disse timidamente a garota, cujas mãos estavam geladas.

- Oi, bem. Você por aqui? Cadê sua mãe?

- Ela está lá na portaria do hospital, conversando com a mulher do escritório. A senhora melhorou?

- Estou bem. Eu me preparo agora para o fim da viagem, a grande viagem.

- Como assim vó? A senhora vai viajar?  Pra onde? - quis saber a jovem sentindo alguma alegria.

- A vida da gente é quase igual a uma viagem, às vezes, longa, outras vezes, bem curta. Sabe... Tem o ponto de partida, o transcurso e depois o fim, a chegada.

Sem poder compreender o que dizia a avó, a menina calou-se entristecida.

- Você sabia que quando nascemos todos os nossos entes queridos riem de satisfação, e só a gente chora?

Espantada, a jovenzinha fixou o olhar, na face tranquila da idosa.

- Olha meu bem... Viva a vida de um jeito que, quando você morrer, todos os que te amam chorem, e só você sorria. Entende?

Percebendo que a avó fechou novamente os olhos e, ouvindo a sororoca que principiava a menina com medo, deu um passo pra trás.

A mocinha sentiu e voltou-se assustada, quando alguém lhe tocou, levemente, o ombro direito.

- Vamos embora. Não podemos fazer mais nada. - disse-lhe a mãe, com a voz num tom baixo e bem triste.

Depois de fecharem, com muito cuidado, a porta do quarto, mãe e filha caminharam, devagar e juntas, pelos gélidos corredores vazios do hospital, em direção à saída ensolarada.

Ao trafegarem pelo pátio, passaram por um chafariz, ornado com dois peixes brancos de mármore, e donde jorrava também, para cima, alguns fiozinhos de água.

No tanque, a transparência da água deixava ver os três pequenos peixes vermelhos, que serpenteavam submersos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:11


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D