Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


São Paulo e os trens

por Fernando Zocca, em 16.10.13

 



Em julho de 1983 a Revolução Constitucionalista, que levou São Paulo a bater-se contra o Brasil, completava 51 anos.


A geração nascida em 1951 surgia à luz depois de passados 19 anos do fim daquele embate, no qual o Estado Paulista, sofreu a mais vergonhosa derrota militar de toda sua história.

 
Mas, - perguntaria meu nobilíssimo leitor - a causa dessa revolta frustrada teria sido uma ocupação irregular das terras alheias como aconteceu em 1948, quando Israel apropriou-se, com o apoio do governo norte-americano, da parte do território palestino?


Não. A causa da insurreição paulista deu-se pela preterição do candidato do Estado de São Paulo à ocupação da presidência da República. 


Todos nós sabemos, ou quase todos, que a República foi proclamada no dia 15 de Novembro de 1889. Desta data até 1930 o cargo de presidente era ocupado alternativamente por políticos paulistas, representantes dos latifundiários produtores de café, e dos mineiros, representantes dos fazendeiros, produtores de leite.


Esse "esquemão" conhecido como política do "café com leite" que continha fraudes eleitorais grosseiras, foi interrompido a "Manu militari" por Getúlio Vargas em 1930, quando a vez de ocupar a presidência e gozar de todos os seus privilégios, era dos paulistas.

 
A indignação da classe dirigente frustrada, por meio das rádios, dos jornais e outras formas usuais de comunicação, fez a opinião pública acreditar, que o Estado de São Paulo se bateria por uma causa nacional justa que seria a obtenção da Constituição da República.


Fazia parte do arsenal dos paulistas um trem considerado imbatível, pois podia transitar por quase todo o estado, armado com canhões, transportando carros, caminhões e tropas.


Acontece que, em sendo a teoria na prática, outra coisa bem diversa, deu-se muito mal o Estado de São Paulo, no confronto com o Exército Brasileiro, formado por contingente maior e mais bem equipado.


Parece que o trem, que outrora fora esperança de vitória dos políticos paulistas, volta agora para demonstrar que os fatos não são como aparentam ser e que há algo de bem podre na suposta solidez do governo PSDB do Estado de São Paulo.


Desde 1932 o Brasil não elege um candidato paulista a presidente da República.

 
Diante dos fatos, e ao que tudo indica se depender dos senhores Antônio Carlos Mendes Thame, Barjas Negri, Geraldo Alckmin e muitos assemelhados, o Estado de São Paulo passará outros 82 anos sem ter um filho seu eleito presidente da República.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:32

Pagando com Ingratidão

por Fernando Zocca, em 27.12.12

 

 

Mas não é mesmo verdadeira a afirmativa de que demonstra incoerência e muita ingratidão, aquele que usufruindo de todos os benefícios dos favores recebidos, dispõe contra o benfeitor?


Agir assim é, seguramente, o mesmo que atraiçoar aquele que proveu o traidor com muita honra e abastança material.


Não comete ato mais vil e covarde a adúltera que engana a quem deveria respeitar.  O comportamento de quem age desta forma assemelha-se à corrupção da gasolina, dos remédios, da falsificação de documentos e da instalação insidiosa da doença.


Por outro lado, aquele que alçou a pobre alma infeliz ao topo, na escalada da ascensão social, não teria cometido ato mais incauto do que ingerir bebida "batizada", mutilar-se ou ter disparado contra o próprio peito.


Não é absurdo afirmar que as ações do ingrato incoerente assemelham-se às do artilheiro que, no jogo final do campeonato, marca nos acréscimos da partida, o gol contra da derrota.


O que desejaria provar o ingrato? Que é mais realista que o rei?


Aqui em Piracicaba a politica praticada pelo PSDB, especialmente pelo senhor Barjas Negri e apoiadores, pode-se dizer com muita segurança, quase enlouqueceu uma cidade inteira.


Nesses oito anos consecutivos, em que todas as verbas doadas pela união e estado, foram usadas no consumo e manipulação do concreto, tanto o ensino, como a segurança e o transporte coletivo, arruinaram-se de maneira jamais vista em toda história desta cidade.


As reprovações das contas municipais, pelo tribunal competente, e as consequentes multas aplicadas ao senhor Barjas Negri, são provas irrefutáveis de que as destinações das verbas recebidas não foram acertadas.


A politica do executivo tucano anulou completamente o poder legislativo tendo mantido a casa de leis, dirigida especialmente pelos senhores José Aparecido Longatto e João Manoel dos Santos, tão amarrada quanto subserviente.


Para os desavisados é bom noticiar que na lista das prioridades do município, não consta o indispensável bem-estar da população, só obtido com a melhoria da segurança pública, dos transportes e do atendimento nos postos de saúde.


Veja no vídeo uma entrevista concedida pelo presidente Lula aos blogueiros de Brasília.


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:17

Presentes

por Fernando Zocca, em 21.11.12

 

 

É muito pouco provável que as 18 empresas para as quais os representantes da Delta repassaram as verbas recebidas das administrações municipais não tenham alguma ligação, direta ou indireta, com o pessoal dos partidos e das prefeituras envolvidas.


Sabe-se que pessoas jurídicas podem associar-se formando outras empresas. As pessoas físicas que comporiam, em última instância, os empreendimentos primários poderiam até ser inexistentes.


Mas os recibos e as notas fiscais referentes aos serviços ou materiais fornecidos, pela vencedora das licitações, às administrações públicas, não podem deixar de ser concretos.


Elas trariam as inscrições detalhadas das transações superfaturadas sendo provas importantíssimas na caracterização dos ilícitos cometidos.


Na verdade as facilitações para a obtenção de resultados positivos nas licitações e o superfaturamento, dos serviços ou bens, entregues ao poder público seriam as chaves do vergonhoso enriquecimento ilícito de alguns "poucos e bons".


A despreocupação com as possíveis punições previstas aos praticantes dos delitos perpetrados torna os corruptos saciados, soberbos e extremamente cruéis.


É factível que parte do dinheiro público desviado financie e se transforme em prêmios de alguns programas de televisão.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:11

A Técnica das Manobras

por Fernando Zocca, em 16.10.12

 

 

 

Esse mensalão que rola hoje é semelhante ao do PSDB do Sérgio Motta e Fernando Henrique Cardoso.  A diferença entre eles consiste no fato de que o daquele, houve a alcaguetagem de um frustrado.

 

Quem não se recorda do zunzum que havia na imprensa, no período em que o PSDB estava na presidência da República? O que se comentava era que o então Ministro das Comunicações Sérgio Motta obtinha o apoio de parlamentares, da mesma forma que esse suposto jeito julgado hoje.

 

Entretanto no esquema do PSDB não havia um Roberto Jefferson que, contrariado, deu com a língua nos dentes.

 

No maracutaia das ambulâncias, do qual participou a empresa Planan, os Vedoin, e Barjas Negri, não sobrou nada que pudesse embasar recriminações oficiais.

 

Na mutreta do atual prefeito de Piracicaba, quem poderia comprometê-lo seriamente era o seu ex-chefe de gabinete, o senhor Abel Pereira. Abel, como todos sabem, era dono da empreiteira CICAT que em troca do financiamento das campanhas do Barjas, recebeu a vitória em mais de 30 licitações.

 

Portanto, entre as embrulhadas que hoje aparecem com destaque na TV, e aquelas havidas no período peessedebista, a diferença consiste única e exclusivamente na delação.

 

A trapalhada é a mesma.

 

Não que eu considere equivocados os acontecimentos presenciados hoje no Supremo Tribunal Federal. De forma nenhuma. Entretanto, em que pese o tempo decorrido, os deslizes praticados pelo PSDB deveriam vir à lume e explicados à população.

 

De uma coisa você pode ter a certeza, meu querido leitor: a técnica das manobras do PSDB em cometer os descalabros sem ser pego, supera em muito, qualquer outra.

 

A linha Lilás do Metro de São Paulo é um exemplo do que se comenta. Nesse caso, sabia-se, com antecedência de meses, qual seria a empreiteira vencedora das licitações.

 

Com relação às contas apresentadas pela administração do senhor Barjas Negri, os tribunais as têm reprovado invariavelmente. As causas disso tudo, não deixariam de ser a inobservância da aplicação das verbas na educação, saúde e segurança municipais.

 

A prioridade do PSDB em Piracicaba, como todo mundo sabe, é a construção de obras voluptuosas.

 

Assim, pontes, viadutos, passarela e tudo o mais que significa o uso de cimento, ferro, areia, cal, tijolos e licitações têm a atenção da prefeitura.

 

Veja: não é de hoje que as reclamações do mau atendimento nos setores da saúde, educação, transporte público e segurança do município são tão evidentes.

 

E pelo que se pode perceber, continuarão do mesmo jeito.

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:20

Os Mesmos Descarados

por Fernando Zocca, em 16.07.12

 

A diferença entre os países civilizados e os ainda deficientes você observa também na observância das leis.


Nas nações imaturas existem normas, regras e leis regulando tudo, mas nem sempre elas funcionam quando necessário.


Por exemplo: uma determinada câmara municipal promulga a lei que coibe a perturbação do sossego público depois das 22 horas.


Isso inclui ensaios de bandas nos quintais ou garagens, churrascos comemorativos, funcionamento de bares onde a algazarra perturba a vizinhança, e tudo o mais que possa impedir o bem estar público durante o horário noturno.


Entretanto os mais imbecis ou alcoólatras incorrigíveis, mesmo sabedores das tais determinações, fazem de conta que isso seria inexistente, violando assim, as avenças feitas, na maior cara de pau.


Levado o problema ao judiciário e percebendo que as consequências do desrespeito lhes poderia custar muito caro, buscam os tais insanos, por meios inclusive das crenças e práticas religiosas, demover a vitima do seu pedido de reparação.


Conseguido o intento tornam, os malucos, a vida daquele que supostamente estava amparado pela lei, num verdadeiro inferno, digno dos regimes mais injustos e violentos da face da terra.


Por outro lado você perceba que, numa situação praticamente semelhante, o pessoal do Rock, ao comemorar certa efeméride em Londres, teve o microfone cortado depois que a festança passou do horário prescrito na lei.


Ou seja, os políticos numa determinada comunidade, mais lenta, mais devagar, em troca das promessas de voto, que lhes garantirão outros quatro anos do bem-bom, atuam contra as próprias normas aprovadas pela instituição que os abriga.


Isso infelizmente significa que mais vale as vantagens pessoais que lhes dão o cargo, do que a aplicação da lei que, em tese, solucionaria um conflito social.


E você veja, meu querido leitor que é exatamente nesse exato momento em que se aproximam as eleições, que os mesmos descarados se apresentam novamente, pedindo a sua concordância para que continuem a praticar as loucuras mil que os caracterizam.


A Constituição da República deveria consagrar o direito do cidadão demonstrar o seu desagrado, com os políticos, instituindo o voto facultativo.


Eu particularmente, com o devido respeito, não contribuirei com o meu voto, para que as injustiças e maldades continuem acontecendo.


16/07/12

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:48

Armadilhas Afetivas

por Fernando Zocca, em 16.04.12

 

 

             Pois foi então meu amigo, minha amiga e senhoras donas de casa que deu-se tudo o que se deu. Da mesma forma que o Iscariotes executou o que havia antes sido traçado pra ele, as almas perversas também efetuaram os planos corruptores dantes planejados.

       A astúcia dos corruptores é a mesma tanto na elaboração dos projetos de sangria dos cofres públicos, quanto nas armadilhas afetivas que elaboram contra os que a eles se opõem.

       A marca da administração de uma cidade você averigua pelo estado em que se encontram os seus habitantes. O atendimento nos postos de saúde, a atenção nas creches municipais e a má gestão das verbas destinadas à educação, destacam-se tão ou mais vivamente, do que os viadutos e pontes.

       Posso afirmar, com muita certeza, que em Piracicaba, nunca houve um embotamento popular tão intenso, quanto o havido durante a gestão desse pessoal do PSDB.

       Os caras não pensam de outra forma que não seja pela atribuição de valor monetário no que fazem.

       Se o benefício político próprio é maior do que os custos, no asfaltamento do que já está asfaltado, fazer pontes onde não há necessidade, e viadutos que não levam a lugar nenhum, do que aplicar o dinheiro na educação das crianças, e na melhoria do atendimento público na área da saúde, eles assim o farão.

       O PSDB doou uma área de terras enorme à multinacional Hyundai, concedendo-lhe também a isenção de impostos por um século ou mais. Em troca do quê?

       De emprego? Engana-se o piracicabano se pensa que poderá trabalhar nesta fábrica. Primeiro, que ela é totalmente automatizada, isto é, não ocupará força muscular. Segundo, que para desempenhar atividade ali é preciso ter conhecimento relacionado à construção de automóveis, e aqui em Piracicaba, com raras exceções, isso não é comum.

       Portanto a vinda desta montadora para Piracicaba só tem como vantagem, única e exclusivamente, o “capital político” para o PSDB, nada mais.

       Esse pessoal já constrói um presídio com a capacidade para mais de 700 condenados. Um vereador já alertou a todos sobre a possibilidade de atentados contra os bens públicos municipais.

       A vulnerabilidade dos dutos de gás, pontes, e viadutos estaria aumentada, na mesma proporção crescente do turismo, praticado pelos parentes dos presos.

       Com o PSDB quem ganha são os industriais, os bancos, as grandes empresas de comunicação e os latifundiários.

       Quem perde é você eleitor que lá os mantém.     

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:10

O Macaco Silvestre

por Fernando Zocca, em 26.12.11

 

No mafuá da usura, preso em candura, 
estiolado no cipreste, estava o macaco silvestre. 

Mas o que fizeste, pobre mico do agreste? 
Só por tua beleza e negrura, se vê sem soltura? Não te amargura o mal que te investe? 

Pobre macaco silvestre! 
O orgulho negociante que o poder tem nas mãos 
não se compadece. O quê fizeste? 
Malfadado macaco silvestre? 

A luta pelo dinheiro, poder e sexo, desmerece. 
Desanca e não enaltece. Prende e arrebenta até envilece. Pobre de ti macaco silvestre. 

Esqueceste da selva de onde vieste! 
Mas na prisão, em que tudo fenece, pior é a vida e não te apetece. 
Não desejavas contigo macacas silvestres? 

Usura liberta o macaco. Usura apieda-te e não investe. Usura: liberta o macaco silvestre!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leia Também

É do Mingo

 

Clique aqui.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:15

Um pouco mais de sensatez

por Fernando Zocca, em 25.09.11

 

 

                            É bom que não haja escândalos numa comunidade, numa cidade; mas ai daqueles que os causarem.

             Hoje em dia, pode haver escândalo maior do que fartar-se com os bens adquiridos com o dinheiro que se furtou dos cofres da administração?

             Quando o homem eleito pelo povo trai a sua confiança, subtraindo para si a riqueza comum, edifica uma carência de recursos que farão falta no suprimento das necessidades da população.

             Ou seja, sem o dinheiro, que foi para a conta particular do senhor prefeito, do senhor vereador, do senhor deputado, do senhor governador, não haverá meios para pagar as despesas que as instituições públicas teriam ao garantir a saúde, a educação e a segurança dos cidadãos.

             Então se conclui que quanto mais enriquecido se torna o tal político, mais miserável, mais analfabeta, mais doente, desdentada e mais insegura, ficará a população que o elegeu.

             Isso ainda acontece, nos dias atuais, em decorrência da conhecida crença de que “todo mundo rouba” impunemente. A ostentação, a mudança de vida, propiciada pelo enriquecimento ilícito, incentiva a todos a praticarem os mesmos delitos.

             Você pode perceber quando um partido político prioriza mais as coisas do que as pessoas ao notar a construção de pontes desnecessárias, o asfaltamento das ruas já calçadas e outras obras suntuosas, em prejuízo também dos salários dos servidores municipais.

             A construção de presídios e de fábricas de automóveis tem o seu preço. Quase todos sabem qual é. O que se pede é um pouco mais de equilíbrio, de justiça, de sensatez.


25/09/11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:13

Raízes da Corrupção

por Fernando Zocca, em 14.06.11

 

 

                   Quando você puxa um fiozinho da meada sinistra, descobre que os descalabros todos que acontecem hoje em dia, não são novidade nenhuma.

 

 

                    Na composição de um governo corrupto pode constar algum integrante, com antecedentes nesse tipo de ilícito.

 

 

                  Assim, numa prefeitura sob suspeita, pode haver até grupos, compostos por integrantes de governos passados, completamente imersos nas mais variadas irregularidades administrativas.

 

 

                  Quem não se lembra dos escândalos do Banespa em 1986?

 

 

                  Ou dos equívocos evidentíssimos ocorridos antes, no executivo campinense lá pelos idos de 1969, quando vozes oprimidas, já clamavam pela atenção do povo?

 

 

                  Por não terem sido investigadas as suspeitas daquela época, não terem sido provados os fatos e, em não havendo a condenação dos envolvidos naqueles escândalos todos, eles tornam a se repetir agora no presente momento, com mais intensidade.

 

 

                  Quem perde com isso é o eleitor que fica sem a infraestrutura financiada pelas verbas roubadas.

 

 

                  Quem ganha é a categoria dos “espertos” que ao viverem repetindo ao eleitor que esqueçam o passado, enriquecem ilicitamente, dando a ideia falsa de que são vencedores.

 

 

                 Os que “vencem” praticando crimes não são vencedores, são criminosos. E lugar de criminoso é na cadeia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:39

Mudando a Forma

por Fernando Zocca, em 11.06.11

 

 

                     A sociedade campineira passa por reformas profundas. A partir do momento em que os manejos aberrantes são expostos à higienização, surge também a possibilidade da extirpação das metástases e a consequente esperança do revigoramento de todo o coletivo.


                    O conserto dessas partes estruturais da administração municipal, certamente trará forma nova, mais justa para o todo.


                    Pois é retirando os modelos danificados pelos equívocos, pelos erros, e substituindo-os por outras configurações, que se obtém a melhora na competência do conjunto.


                    A feição da atual administração mostra o tamanho dos descalabros, do egoísmo, do pouco caso com a coisa do todo, do comum, do coletivo. A visão de quem faz esse tipo de delito é a do bem próprio, única e exclusivamente.


                    Que se danem os correligionários, os eleitores, o cidadão comum, as leis, as instituições. Vale mais a satisfação da luxúria, da gula, da ostentação, da soberba própria, da autoafirmação, do exercício da esperteza danosa, do que a obediência aos dispositivos legais.


                    No caso da administração atual campineira, não há como negar a materialidade e a autoria criminosa. Não tem como.


                    Os julgamentos absolutórios tanto na esfera legislativa, com a negação do impeachment, quanto na judiciária, com a improcedência dos pedidos condenatórios, se ocorrerem, demonstrarão o total alheamento das provas materiais e testemunhais, colhidas pela polícia e o ministério público.

 

11/06/2011.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:44


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D