Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O profundo ódio secreto

por Fernando Zocca, em 18.08.12

 

As maldades que fazem com alguns recém-nascidos não constam de nenhum gibi. Mas os motores das crueldades não deixam de ser a frustração, o ódio e a inveja.


Na maioria dos casos os parentes mais próximos é que se valem desse expediente covarde, para se desonerarem do desconforto causado pela descompensação.


Basta uma vacilada da mamãe e pronto: lá está a tia ou a babá nervosa sozinha com o bebê a dizer-lhe palavrões, rogar-lhe pragas e a machucá-lo fisicamente.


As frustrações com os filhos, com o marido, com a mãe já idosa, com o irmão pinguço que não sai do bar, podem conduzir o espírito de bruxa a descontar, no pequeno ser vulnerabilíssimo, as mágoas todas.


A titia, ou a babá rancorosa, troca o seu mal estar pelo sofrimento do infante. Veja que a visão do neném chorando, desesperado, com dores, agoniado, dar-lhe-iam satisfação e muito prazer.


Até mesmo a esperança de que aquele seu objeto de vingança venha a ser destruído, pervertido ou danado, pode tranquilizar momentaneamente a titia portadora do intenso ódio secreto.


Repreender o bebê como se repreendesse o pai ou a mãe dele, saciaria a tal personalidade covarde e simuladora.


Quando não há crianças na família ou na vizinhança, a perversidade busca nas maternidades, os seus alvos indispensáveis.


Perceba que a incapacidade para conversar, solucionar as dúvidas, apaziguar os tormentos, são importantes na composição dessa aberração, desse desvio doentio de conduta.


Os impasses nas questões de herança, a escassez do dinheiro e a ansiedade, diante dos vencimentos das contas, conduzem sem dúvida nenhuma, as tais almas desajuizadas à atormentação do bebê ainda no berço.


As crianças agredidas vivem momentos pré-verbais, isto é, não falam. A área de abrangência da sua visão é limitada. As impressões que lhes provocam as atitudes agressivas, bastante desconfortáveis, são associadas ao que ela pode ver e ouvir nos momentos de violência.


Os nenês são passíveis de agressões físicas, morais, ou ambas simultaneamente, durante a alimentação, a troca de fraldas, o banho e o sono.


Não haveria dúvidas de que os comportamentos inexplicáveis, de alguns adultos, teriam origem nestes instantes da vida do bebê.

 

Babá agride criança

 

Veja no vídeo abaixo alguns momentos em que uma babá agride covardemente uma criança indefesa.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:28


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D