Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Piracicaba a Reboque

por Fernando Zocca, em 16.03.13


 

Olha, não quero ser chato, mas Piracicaba se parece com um playboy dependente da mesada do papai milionário.


Veja que um fator importantíssimo, que pesa a favor de qualquer candidato, no tempo de eleições, é o livre trânsito que ele teria nos palácios governamentais.


Então, candidato bom é aquele que pode trazer mais dinheiro para a cidade.


Ora se é assim que funciona, não seria condenável dizer que a cidade só funciona à reboque da economia estadual e federal.


Pois não é que, só pra saúde, o Governo Federal destinou mais de oito milhões de reais?


Se não me engano um deputado Estadual publicou na imprensa - rádios, jornais TVs e internet - que havia conseguido mais não se sabe quanto dinheiro para a cidade.


É um dá-dá-dá que não acaba nunca. E esse esquema não é semelhante ao do mocinho milionário, que vive às custas do trabalho do avô, do papai e dos titios?


Engana-se e muito, quem diz que não.


Como é que se pode obter arrecadação da fábrica de automóveis, e da de tratores, se para que elas venham para cá, doa-se-lhes os terrenos e se lhes concede isenção de impostos por um ou dois séculos?


Em outro dia, conversando com um colega no Fórum, ele me disse que a Prefeitura acabara de ajuizar quase 30 mil execuções fiscais.


São cobranças de Impostos prediais, de circulação de mercadorias, taxas de poder de polícia, taxas de iluminação e por aí vai a montoeira de papéis.


À minha pergunta sobre a despreocupação do poder público com a morosidade nas cobranças, o meu interlocutor respondeu que a prefeitura não se preocupa muito com esse tipo de processo, porque pega mal para a imagem do prefeito, a característica de cobrador.


Seria difícil para ele, e seus apoiadores, ganharem eleições se ficassem conhecidos como cobradores implacáveis de impostos atrasados.


Então, em sendo a arrecadação mensal dos impostos insuficientes para o pagamento das despesas de manutenção das máquinas administrativas (executivo e legislativo), o governo municipal, igual ao filhinho de papai, corre ao estadual e federal pedindo-lhes o necessário para o pagamento das contas.


Não acho que seja desonroso para a cidade esse tipo de dependência. E nem diria, levianamente, que o esquema assemelha-se ao do chupim.


Mas não difere. Compreende?


O PSDB investe adoidado na construção civil pública, alegando dentre outras coisas, que proporciona empregos a milhares de trabalhadores.


A preocupação dos burocratas com as obras é tão intensa, mas tão intensa que eles não atentam para as nulidades das licitações públicas e muito menos para todas as demais instituições da cidade como saúde, educação e segurança.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:41

O Reconhecimento

por Fernando Zocca, em 13.03.13



É claro que Piracicaba merece muito mais do que recebe atualmente do Governo do Estado.


Por que municípios como Americana, Capivari, Limeira, Santa Barbara D´Oeste e Campinas teriam mais privilégios do que a "Noiva da Colina"?


Afinal não seriam todas elas iguais perante a constituição estadual e federal?


Um presídio para 700 ou mais condenados, e alguns milhões de rais, destinados ao investimento na saúde pública, não seriam suficientes na demonstração do respeito pela importância econômica do lugar.


A cidade produz muito e por isso quer ser reconhecida. Talvez moções de louvor emitidas pela Assembleia Legislativa do Estado ou um galardão especial do executivo estadual, sejam suficientes para a melhoria da autoestima.


Mas com o que tem a cidade não está contente. Parece que falta alguma coisa. Seria mais dinheiro?


A urbe abriga uma fábrica de automóveis, outra de tratores, produz muita cana, álcool, açúcar, tem dezenas de usinas, mas mesmo assim os discursos no plenário do legislativo demonstram que ainda há certa carência.


É claro: sempre há os mais chatos a lembrar de que já seria passada a hora da eterna noiva casar-se.

Mas há também os que contestem: antes tarde do que nunca. Não é verdade?


Quem sabe a nomeação de um piracicabano destacado, ilustre mesmo, para o cargo de Papa não afagaria de forma satisfatória a atacadíssima autoestima da urbe?


A cidade que, por meio das suas instituições públicas homenageia tanto, merece, com certeza, muitas e muitas homenagens.


Talvez a efetivação de um politico emérito de Piracicaba para o cargo de... Digamos chefe de gabinete do presidente Obama não seria suficiente para massagear o ego da execrada?


Já pensou o ex-prefeito Barjas Negri aparecendo ao vivo na CNN, em rede para o mundo todo, na qualidade de porta-voz da Casa Branca, anunciando a visita de Bill Clinton ao Fórum de Piracicaba?


Ou o deputado federal Antônio Carlos Mendes Thame sendo nomeado, por seu notável saber agronômico, pedagógico e político como o mais supimpa, importante e rico primeiro ministro da Inglaterra?


Nossa! Seria a glória.


Quem espera sempre alcança.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:24

O Pai Maldoso

por Fernando Zocca, em 09.03.13

 

 

O limite de tolerância dos autoritários é muito baixo. Qualquer mísera crítica induz a uma avalanche de atos restritivos em retaliação. O exemplo disso é o que ocorre na Coréia do Norte, Cuba, China e Irã.


Na Argentina a presidenta Cristina Kirchner procura calar os veículos de comunicação social que não se dispõem a concordar com as suas decisões.


Em Cuba, o governo fossilizado de Fidel e Raul Castro, tornou sofrida a vida da cidadã Yoani Sanchez por ela publicar no seu blog, as suas opiniões sobre a situação que presenciava.


Os dirigentes cabeças-duras sempre agem com violência quando já não possuem argumentos suficientes para justificar as atitudes condenáveis.


Perceba que as hostilizações públicas feitas a Yoani Sanchez em Recife, Salvador e Brasília possuem o mesmo elemento componente do que as feitas ao prefeito Gabriel Ferrato, em Piracicaba.


Politico ladino, aproveitador do inconformismo natural dos adolescentes, contra a figura paterna, busca vergonhosamente, a condução destas energias contestadoras contra as instituições e seus representantes.


Significa isso a expansão, sem resultado prático positivo nenhum, do braço politico manipulativo, aos nichos adolescentes e pré-adolescentes da cidade.


Já dissemos e achamos oportuno repetir: se barulho e pular as catracas resolvesse alguma coisa, certamente que a população usaria gratuitamente o transporte coletivo desta cidade.


Ainda que mal comparando duas situações diversas, diríamos que este bafafá é semelhante ao feito pelo pai inexperiente, de primeira viagem, que tentando educar a filha, espalha tanta maldade que pode tornar insuportável o ambiente em que a moçoila e todos os demais vivem.

 

A lição que se tira disso tudo é que bagunça, indisciplina, maus modos, falta de educação, preconceito de classe social e desrespeito, são menos eficientes, mas muito menos eficientes mesmo, do que os atos administrativos previstos na lei.


Nos dias atuais nenhuma cidade, estado ou país precisa deste tipo de política. 


09/03/13

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:13

Incompetência Pedagógica

por Fernando Zocca, em 02.03.13


 

Tenho dito, há já algum tempo, que o PSDB aqui em Piracicaba, labora sobre premissas falsas.


O raciocínio conceitual dos líderes do partido é todo ele formulado com base em sofismas que os levam ao cometimento de omissões e erros gravíssimos.


Não exageraria e nem se enganaria quem concluísse que eles mesmos - os do PSDB - caem nas armadilhas criadas para os adversários.


Durante esses oito anos, que senhor Barjas Negri exerceu a função de prefeito, notou-se a intensificação dos comportamentos preconceituosos, contra as pessoas mais pobres.


Por não gostar de pobres o PSDB não cuida das coisas ligadas a eles.


Então observa-se a deterioração dos serviços públicos como o transporte coletivo, a educação, a segurança e a saúde.


Este pecado mortal vem sendo denunciado também por vereadores como José Antônio Fernandes Paiva (PT), Laércio Trevisan Júnior (PR) e outros espíritos valorosos incansáveis.


Dentre os setores fragilizados considero a educação o mais envilecido.


Perceba que uma das consequências negativas do alto índice do analfabetismo, sem dúvida nenhuma, é a incivilidade.

 

A grosseria, os maus modos, e por que não dizer a estupidez mesmo, são os resultados da ausência da lapidação proporcionável pelo alfabeto.


Não duvide o meu amigo leitor, que estas características todas elencadas, tornam a convivência na comunidade bastante sofrível e tumultuada.


Dei razão ao professor já idoso, preocupadíssimo em servir aos necessitados, quando me disse numa ocasião: O PSDB não educa as crianças e nem pune os adultos infratores.


A incapacidade evangelizadora, socializadora, é "desculpável" quando os responsáveis atribuem suas incompetências pedagógicas aos fatores alheios às suas vontades.


É chegada a hora do obsoleto PSDB piracicabano e seus simpatizantes mudarem seus conceitos, reverem suas premissas, ligarem-se à realidade e amadurecerem.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:54


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D